Por Favor aguarde...
 
 

Neste momento, está a fazer Dieta?

Ver Resultados

Odor Corporal: Origem pode ser Genética

Odor Corporal: Origem pode ser Genética

Estudo recentemente publicado no “American Journal of Medicine” conclui que o mau odor corporal que algumas pessoas têm pode ter origem genética.


Já se sentou ao lado de alguém que cheirava mal e pensou que essa pessoa precisava de um banho? Saiba que algumas pessoas podem ter um inexplicável mau odor corporal, que um estudo recente diz poder tratar-se de um problema genético raro conhecido como "Síndrome do Cheiro de Peixe".

A trimetilaminuria, nome clínico desta condição, é causada pela emissão de quantidades excessivas de trimetilamina (TMA), um composto produzido na digestão de alimentos ricos em colina, como o peixes de água salgada, ovos, fígado e alguns legumes, como soja e feijão.

A trimetilaminuria é provocada por um defeito genético (herditário, ainda que não se manifeste nos pais), que dificulta a capacidade do organismo em metabolizar a TMA e transformá-la em compostos livres de odor. A TMA tem, por si, um forte odor a peixe,embora 10% a 15% dos pacientes tenham um mau cheiro específico, dificultando o diagnóstico.

O mau odor corporal, que caracteriza esta condição, nada tem a ver com higiene, mas com o distúrbio metabólico.  O líder da investigação, Paul Wise, explica que o “diagnóstico da doença é difícil sem exames especializados”, mas que o  “o impacto psicossocial que a trimetilaminuria provoca pode ser considerável”.

O diagnóstico da doença é difícil, sem exames especializados, e desconhecido por muitos médicos, com a agravante de poucos laboratórios realizarem testes para esta doença.
Uma forma prática de avaliar se tem ou não a Síndrome do Cheiro de Peixe é evitando alimentos ricos em colina.
Se esta mudança de hábitos alimentares melhorar a sua condição, poderá ser um indício da causa do seu problema.

O estudo contou com a participação de  353 pacientes, dos quais 118 apresentaram resultados positivos para a trimetilaminuria.

Dessa amostra positiva, apenas 3,5% dos pacientes se queixaram de sentir odor a peixe. Com muito mais frequência foi relatado odor corporal em geral, mau hálito e um gosto estranho na boca.


Muitos dos pacientes no estudo tinham sido observados por vários médicos e dentistas antes de ser encaminhado para o  Monell Chemical Senses Center, na Filadélfia, onde decorreu a investigação.




Notícias por mês:  
 
Votar

 
comments powered by Disqus