Por Favor aguarde...
Fitness
Imprimir    

Pensa que sabe tudo sobre obesidade?

Pensa que sabe tudo sobre obesidade?

 Está ciente dos riscos a que se arrisca ao caminhar para a obesidade? Pior que contrair esta doença, são todas as outras que advém dela: dificuldades respiratórias, problemas dermatológicos, distúrbios do aparelho locomotor, problemas cardiovasculares, diabetes, hipertensão, alguns tipos de cancro, entre outros.


Segundo dados da OMS (Organização Mundial de Saúde), a obesidade é hoje um dos mais visíveis mas negligenciados problemas de saúde públicos. Atingiu uma proporção epidémica a nível global, com pelo menos 2,6 milhões de pessoas a morrer por ano, como resultado de peso a mais ou obesidade. Associado a países desenvolvidos, a doença está também agora presente nos países pobres e sub-desenvolvidos.


Ainda que os homens tenham valores mais altos de peso a mais, as mulheres apresentam valores mais altos de obesidade. As consequências para a saúde variam entre um alto risco de morte prematura e sérias condições crónicas que reduzem a qualidade de vida.


Tipos de obesidade


Obesidade andróide, abdominal ou visceral - quando o tecido adiposo se acumula na metade superior do corpo, sobretudo no abdómen. 
Obesidade do tipo ginóide - quando a gordura se distribui, principalmente, na metade inferior do corpo, particularmente na região dos glúteos e das coxas.

O que provoca o excesso de peso?


As pessoas com maus hábitos alimentares comem demasiado açúcar e gordura que, em excesso, fornecem energia adicional. Se o nível de exercício físico não for suficiente para queimar toda esta energia, a gordura ingerida é armazenada sob a forma de gordura corporal.


O excesso de peso surge quando a dieta de uma pessoa lhe fornece mais energia do que aquela que o seu organismo precisa.


Está em risco de vir a sofrer de excesso de peso se tiver:



Genético?


A probabilidade da obesidade ser genética é muito pouca,  uma vez que só raras mutações genéticas podem levar à obesidade. No entanto, confirma-se a tese de que o risco de obesidade é superior nos descendentes de pessoas obesas.
Segundo a Roche, é afirmado que, globalmente, os genes contribuem em 25-40% para a obesidade. Os genes da obesidade podem exercer os seus efeitos alterando os gastos energéticos do organismo, o apetite ou a forma como o organismo processa os nutrientes.

Factores que contribuem para a obesidade

Para além dos factores genéticos já acima referidos, podem-se referir ainda mais dois: factores ambientais e comportamentais.

Os componentes ambientais referem-se à acumulação de massa gorda em excesso, derivado das dietas com excesso de gorduras, de hidratos de carbono e de álcool, aliada a uma vida sedentária.

Os factores comportamentais também podem influenciar os hábitos alimentares. Muitas pessoas comem como resposta a emoções negativas, como a tristeza, o tédio ou raiva.
Durante os episódios de compulsão alimentar a pessoa ingere grandes quantidades de comida e sente que não consegue controlar o quanto está comendo. Aqueles com problemas de desordem de compulsão alimentar mais severos também têm maior probabilidade de ter sintomas de depressão e baixa auto-estima.

Clique aqui para saber como manter um peso saudável.

 

 

Fechar